#InvictaDeXadrez

ORGÃOS SOCIAIS

ASSEMBLEIA GERAL

Presidente – Manuel José Conceição Tavares Rijo – Sócio nº 432
Vice-Presidente – José Manuel Preza Fernandes – Sócio nº 648
Secretário – Manuel Domingos Diogo Queirós – Sócio nº 3707
Secretário – Rui André Azevedo Martins – Sócio nº 710

DIREÇÃO

Presidente – Vitor Jorge Fonseca Murta – Sócio nº 1223
Presidente Adjunto – António da Silva Marques – Sócio nº 379
Vice-Presidente para as Instalações e Património – José Manuel Ferreira Sobral da Rocha – Sócio nº 1971
Vice-Presidente das Relações Públicas – Filipe Manuel Barros Sousa – Sócio nº 932
Vice-Presidente  das Relações Institucionais – Virgílio Fernando Silva – Sócio nº 654
Vice-Presidente das Modalidades Amadoras – Carlos Alberto Reis de Paiva – Sócio nº 1654
Vice-Presidente da Inovação e Tecnologias de Informação – Reinaldo Manuel Lopes Dias Ferreira – Sócio nº 6644
Tesoureiro – Dúlio Dias de Oliveira – Sócio nº 646

DIRETORES NOMEADOS

Instalações e Património – Secundino Miguel da Silva Teixeira – Sócio nº 212
Instalações e Património – Pedro José Loureiro Ferreira – Sócio nº 2946
Plataformas Digitais – Nuno Miguel de Oliveira Pinho Almeida – Sócio nº 8867
Relações Institucionais – Nelson Adriano Guimarães Tavares – Sócio nº 702
Modalidades Amadoras e Comunicação – António José Pereira Teixeira – Sócio nº 11046
Voleibol – Avelino Fernando da Silva Pereira – Sócio nº 2807
Futsal – António Manuel Morais Ferreira – Sócio nº 727
Futebol Feminino – Alfredina Maria Seabra da Silva – Sócio nº 2352
Atletismo – Anabela Reixelo Ribeiro – Sócio nº 10215
Padel – Licinio Machado Teixeira Monteiro – Sócio nº 1535
Esgrima – Nuno José Fonseca Dias Moreira – Sócio nº 9164
DDA – Pedro Alexandre Ribeiro Gonçalves – Sócio nº 4554
Tiro Precisão – Bruno Renato Valério Valentim – Sócio nº 3126
Bilhar – Manuel Augusto Moreira Magalhães – Sócio nº 11050
Kickboxing – Bruno Miguel Correia Fernandes – Sócio nº 5014
Boxe – Carlos Pereira Caldas – Sócio nº 1734
Academia Musculação – José António Brito Estevão – Sócio nº 1757
BTT – Francisco José Machado Azevedo – Sócio nº 9598
Delegado em Lisboa – António Barbosa – Sócio nº 309
Adjunto da Presidência para Relações Internacionais – Diego Llorente – Sócio nº 7935

CONSELHO FISCAL

Presidente – Joaquim Agostinho Moreira de Carvalho – Sócio nº 957
Vice-Presidente – Miguel Fernando Amaral e Sousa Macedo Garcia – Sócio nº 501
Relator – Marco Arlindo Magalhães Soares Tomé – Sócio nº 1594
Relator – Tiago Jorge Henriques Quintela – Sócio nº 1790
Relator – Marcelo Correia Vilela – Sócio nº 1648

CONSELHO GERAL

Presidente – Arnaldo José Nunes Costa Figueiredo – Sócio nº 141

ESTATUTOS

CLUBE - 1903


1 de Agosto de 1903 é a data de Fundação do Boavista FC e o dia 1 de uma história centenária e de inúmeros momentos marcantes.


Devido às origens inglesas do clube, a designação inicial do mesmo era “The Boavista Footballers”, sendo depois alterada em 1910 para o nome que conhecemos nos dias de hoje, altura em que portugueses assumiram o controlo da direção.


Harry e Dick Lowe receberam do pai uma bola importada de Inglaterra e – após encontrarem os companheiros e o terreno adequados – lançaram as bases para a criação do clube, certamente longe de imaginar a importância que isso teria na vida de várias pessoas e gerações.


A camisola e calção preto foram o equipamento original da primeira versão do clube e o orgulho de alguns jovens ingleses e portugueses, moradores no bairro da Boavista, que ganharam a paixão pelo futebol ao observarem as partidas disputadas pelos mestres e técnicos ingleses da Fábrica Graham.


Apenas a 29 de Janeiro de 1933, numa vitória por 4-0 ao Benfica, aparecem os quadrados pretos e brancos no equipamento. Estava encontrada a identidade do clube, o “Xadrez”, que viria a ser conhecido e associado ao Boavista em todo o Mundo, num dia que marcou também a estreia do símbolo actual e dos primeiros jogadores profissionais em Portugal (algo que na altura valeria uma suspensão de um ano por ser considerado injusto para os adversários).


Os Panteras Negras (alcunha nascida de um ritual nos anos 80 que daria também nome à claque, que retrata o espírito e vontade de sucesso do clube e adeptos), com um fantástico e diferenciador clima de união e amor incondicional, trabalham diariamente de “garras afiadas” na busca de continuar a história centenária – com altos e baixos, e inegavelmente rica do Boavista FC.