Tiago Ilori: “Conheço bem a mística do Boavista FC e estou mesmo muito feliz por estar aqui”

Nas primeiras declarações como reforço do Boavista FC, Tiago Ilori mostrou-se “grato” ao Clube pela oportunidade que lhe está a ser dada de poder “voltar a competir e a ser feliz”. Em contrapartida, e por entre muitos elogios aos adeptos axadrezados, o defesa-central promete “dar sempre o máximo” para “honrar a história desta grande Instituição”.

SENTIMENTO: “Neste momento, a palavra que me vem à cabeça é gratidão. Estou muito grato pela vontade que o Boavista FC mostrou desde o primeiro momento em contar comigo e também por me estar a dar a oportunidade de voltar a ser feliz. A conversa com o mister João Pedro Sousa foi importante, o Clube é gigantesto, e eu, estando numa situação da minha carreira em que já não jogo há algum tempo, sinto que é uma bênção ter um clube como o Boavista FC a dar-me a oportunidade de voltar a jogar”.

OBJETIVOS: “A nível pessoal, quero voltar a sentir a alegria de jogar. Nesta fase da minha carreira, queria ficar em Portugal e fazê-lo no Boavista FC é simplesmente fantástico. Conheço muito bem o Clube e a história do Clube, tenho vários amigos boavisteiros, e estou mesmo muito feliz por estar aqui. Queria voltar a sentir-me valorizado e foi isso que aconteceu nestes últimos dias. Agora, tenho de retribuir todo este carinho no dia a dia, com muito trabalho, sempre em prol da equipa, dos meus companheiros e do Clube”.

ADEPTOS: “Como já disse, tenho alguns amigos boavisteiros e sei bem qual é o sentimento e a mística deste grande Clube. Já estive no Bessa como adversário e foi sempre um dos estádios mais difíceis de jogar, em boa parte por culpa dos adeptos, que têm uma energia especial. Os adeptos não se compram, o Clube nasce assim, são anos e anos de história… Já representei alguns clubes com uma grande história e adeptos incríveis e o Boavista FC também está entre esses clubes”.

MOMENTO: “Estou focado, muito dedicado e mais maduro. Tive muito tempo para pensar. Sabia exatamente aquilo que queria – e eu queria muito jogar em Portugal num clube como o Boavista FC.  Tenho saudades de fazer aquilo que eu amo. No fundo, com esta oportunidade, voltei a sentir-me um jovem com 19 ou 20 anos. Estou mesmo muito feliz com esta oportunidade e prometo que vou dar o máximo todos os dias para honrar a história desta grande Instituição”.